receita para preservar amigos ciranca_eterna_novidade_do_mundo

11/06/2017 - São João na Lua tem diversão e aprendizagem

São João é festa de criança. Seja ela adulta ou ainda nos primeiros anos de vida. Fogos, música, brincadeiras, muita comida e muito colorido marcam a mais brasileira das festas. Na Lua Nova, toda essa alegria vem também acompanhada de muita aprendizagem para as crianças do Grupo 2 ao 5° ano, que terá sua culminância nos dias 13 e 14 de junho para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental, respectivamente.

Ano a ano, a festa da Lua Nova traz às crianças novos “reconhecimentos” inseridos na cultura junina. Os alunos do Grupo 2 ao Grupo 4 são introduzidos nos folguedos pelas brincadeiras. “Nós vivenciamos com eles brincadeiras populares como rabo de burro, pula fogueira, pescaria e corrida de limão”, conta Patrícia Dantas, coordenadora da Educação Infantil.

No Grupo 5 e no 1º ano, as crianças conhecem elementos e cenas próprias da festa junina, como o casamento na roça. “Nós fazemos com elas uma pesquisa por meio de fotos e imagens. Ao encenarmos a festa, tomamos muito cuidado na abordagem de questões de gênero e estereótipos, não enfatizamos, por exemplo, a noiva casar grávida, obrigada pelo pai. Não marcamos um caipira do dente preto, dando a entender que está estragado. No final, a cada ano, elas é que decidem se irão encenar o casamento ou não”, conta Bete Tourinho, coordenadora pedagógica da Lua Nova. No 1º ano do fundamental a pesquisa é ainda mais minuciosa sobre a cultura sertaneja por meio de desdobramento do projeto Asas para Voar, que originou um outro, chamado Sertão: Nossas casas Nossas asas.

No demais anos do Ensino Fundamental, as crianças se deparam com temáticas que dão o ritmo da alegria e promovem um tanto bom de reflexão. Esse ano a festa se inspira nas músicas de Gonzagão, que falam da mulher nordestina, brava e forte. “A figura feminina é ímpar. E a mulher nordestina é sempre representada como uma mulher de personalidade forte. Falar dela é falar das trabalhadoras rurais, mães, artistas, artesãs, cozinheiras, companheiras, parteiras, amigas, líderes, entres tantas facetas que essa mulher possui. E nós fazemos isso através da música. A festa de São João é uma culminância desse trabalho”, relata Maria Eugênia Leite, coordenadora pedagógica do Ensino Fundamental.

“A escolha desse tema nos traz um olhar sobre a mulher nordestina, a mulher que trabalha e dá à luz, que ama e ensina. Como também desmistifica o olhar sobre essa mulher que faz muitas coisas ao mesmo tempo, que dá conta da casa, dos filhos, e que muitas vezes gostaria de tocar, compor, escrever cordel, tocar forró, além de ir pra roça. Por isso percebemos que, muitas vezes, não é escolha da mulher nordestina se tornar uma figura batalhadora, mas sim as circunstâncias que a vida lhe proporcionou”, afirma Tatiana Sales, coordenadora de Música do Ensino Fundamental.

Tantiana conta que a música, com toda sua sutileza, elabora e expressa muitas facetas dessas mulheres, que se tornaram referência. “Desde o amor no namoro, no trabalho e na arte, seja ela cantando enquanto lava roupa ou vendendo produtos numa feira”, disse. As crianças do Ensino Fundamental cantarão e tocarão no dia da festa músicas sobre essa temática, que foi trabalhada e discutida nas aulas de Música.

Origem da Festa

A “festa de São João” nasceu pagã, no Hemisfério Norte, como uma comemoração à colheita. “Com a expansão do Império Romano e a consequente disseminação do Cristianismo, as celebrações pagãs foram revestidas pelo manto da Igreja Católica, tornando-se festas de santos. A de São João foi uma delas”, explica a antropóloga da PUC-SP, Maria Celeste Mira, especializada em cultura popular, para o site da revista Brasileiros.

A festa foi trazida ao Brasil pela corte portuguesa como um evento privado e aqui ganhou elementos simbólicos, que lhe deram um ar dramatúrgico como a quadrilha e o casamento na roça. A festa foi se popularizando e tornou-se muito forte no país inteiro. No entanto, recuou nas demais regiões. No Nordestes, ela se aliou a elementos que lhe deram suporte, por exemplo, o forró, contribuindo para a definição de uma identidade regional. A festa de São João brasileira possui características muito específicas que a tornam única em todo o mundo.