receita para preservar amigos ciranca_eterna_novidade_do_mundo

20/08/2017 - Entrevista: Xô, Pintassilgo, o homem vem aí

Se no 1° ano A, matutino, da Escola Lua Nova, as crianças exploraram o antigo desejo do homem voar, no 1º ano B as crianças se envolveram com a referência bibliográfica e musical do “Homem que cantava as aves”, como é conhecido Luiz Gonzaga, e exploraram a letra da música Passaredo, de Chico Buarque. Em companhia desses e outros artistas, elas entoaram, imaginaram, pintaram e cantaram sobre as aves, avançando nos conteúdos curriculares, de mãos dadas com a leveza e criatividade da infância.

“Através da música pudemos simbolizar e também dar materialidade a formatos textuais diversos”, conta Carla Chaves, a professora que mediou a construção do conhecimento da turma, juntamente com as de Música e Arte, sob a coordenação de Bete Tourinho.  

Aqui, Carla Chaves, nos conta um pouco sobre o processo das crianças do 1° ano B. Ela, que iniciou sua trajetória na Lua Nova como estagiária, há sete anos atrás, sempre na sala do primeiro ano. A professora tem vivido, durante esse período, o processo de aquisição de leitura e escrita das crianças. Um processo repleto de leveza, ludicidade e muita beleza, mais uma vez registrado na exposição das obras elaboradas pelas crianças, montada nos corredores da Escola, na segunda quinzena de julho.

*Qual foi a maior surpresa que essa turma reservou para a professora?

Carla Chaves: A surpresa é sempre o encantamento das crianças e a forma como se entregam às pesquisas. Esse ano, o grupo se envolveu muito com a referência bibliográfica e musical de Luiz Gonzaga, conhecido como o “Homem que antava as aves”, e trabalhamos muitas músicas do compositor, relacionadas a esse tema. Fizemos listas das músicas, reescrevemos algumas delas, e relacionamos com os conteúdos curriculares.

Também trabalhamos com a música Passaredo, de Chico Buarque, que é uma letra difícil, com muitas espécies de aves, e fomos pesquisar cada uma. Fizemos de Passaredo um fio condutor para todo o projeto. No final, as crianças já cantavam a letra de trás pra frente, e o mais legal, com muita propriedade intelectual.

*Como foi trabalhado esse recorte na turma, de forma a acessar os conteúdos curriculares?

Carla Chaves: Como todos os projetos da Lua Nova, o Asas para voar é interdisciplinar, e dá conta de todos os conteúdos curriculares. Com ele pudemos trabalhar Matemática, explorando as medidas e demais características das aves; experimentamos os números altos, com as aves recordistas. Usamos muito “mapa” para entender os percursos das aves migratórias, que também nos ofertam a possibilidade de ampliar o repertório sobre Geografia e Ciências Naturais, tudo isso atravessando o exercício de aquisição da leitura e escrita. E sempre de braços dados com a Arte, que é um instrumento pedagógico para a gente.

As aulas de Artes e Música estão o tempo todo dialogando com o que trabalhamos em sala. Por meio da música, nós ampliamos repertório sobre os recortes da pesquisa. E as referências de artistas plásticos são fundamentais para a construção das produções textuais e plásticas das crianças.

* Quando foi que você assumiu sua primeira turma, como professora, na escola?

Carla Chaves: Em 2012. Meu primeiro contato com a Comunidade Lua Nova foi sendo formado pela professora Milena, no turno da tarde. Porém, precisei me afastar da escola por incompatibilidade de horários. Um ano depois, retornei no turno matutino onde estive estagiária de Rejane (1º ano). Rejane foi dar outros voos e, em 2012, assumi o grupo, onde estou até hoje.